Moção em defesa da pesquisa ecológica no Brasil

Nós, pesquisadores em ecologia, reunidos durante a 1a Reunião da Associação Brasileira de Ecologia e Conservação (ABECO) e 5o Simpósio de Ecologia Teórica, em Gramado, manifestamos nossa profunda preocupação com o futuro da ciência no Brasil.

 

A Ciência e Tecnologia é a base para a construção e o fortalecimento de um país autônomo e soberano. O Brasil tem dimensões continentais e abriga uma rica biodiversidade que é essencial para o bem-estar humano. Cientes disso, os cientistas em ecologia têm contribuído para que a conservação da biodiversidade e dos serviços ecossistêmicos seja parte do desenvolvimento econômico e social.

 

Os cortes orçamentários ocorridos desde 2015 já reduziram quase pela metade o investimento em ciência e tecnologia pelo CNPq e pela CAPES. Estes cortes têm afetado drasticamente a área de Ecologia com a redução no investimento em pesquisa e bolsas. Além disso, há indícios de que novos cortes poderão ser realizados em bolsas de pesquisa, que são um dos importantes mecanismos indutores de excelência científica no país.

 

Para agravar ainda mais este quadro, está em análise pelo Congresso Nacional a Proposta de Emenda Constitucional (PEC) nº 241, que ameaça gravemente a manutenção de programas e estratégias de fomento científico e de formação de pesquisadores, essenciais para o desenvolvimento sustentável e a redução das desigualdades sociais. Há certamente outras opções mais adequadas para enfrentar a crise econômica e o déficit do orçamento federal. Portanto, nós pesquisadores em ecologia e conservação da biodiversidade, associados da ABECO, condenamos essa proposta e alertamos sobre suas consequências nefastas para o futuro deste país. A continuidade de investimentos em ciência e tecnologia é essencial para superar a crise.

 

Gramado, 19 de outubro de 2016.